“Hell Yeah” or “No” – Não é sobre tempo, é sobre escolhas

“Você tem que dizer ‘não’ pra muitas coisas boas para poder dizer ‘sim’ pra muitas coisas ótimas.”

Uma das coisas que mais valorizamos é o tempo. Todos nós temos as mesmas 24 horas disponíveis todo dia. Porque algumas pessoas fazem tanto trabalho significativo e outras não conseguem achar tempo pra se dedicarem aquilo que realmente importa?

Porque não é sobre o tempo, é sobre escolhas.

Não é tempo que falta, é prioridade, disciplina, compromisso. Pra ter tempo pra se dedicar ao que mais valorizamos, é preciso dizer vários “nãos” que abrirão espaço para os “sims” que realmente importam.

Às vezes será preciso até mesmo dizer não pra coisas que nos importamos e gostamos. É nessa hora que nossas prioridades devem estar claras, não da pra querer abraçar tudo de vez.

Você pode gostar de tentar e experimentar várias coisas, até acho que deve como já comentei aqui e aqui, mas querer fazer tudo ao mesmo tempo não vai dar certo. Até porque, o tempo é limitado, por isso precisamos fazer escolhas. E escolher é abrir mão de alguma coisa.

E abrir mão, deixar ir, muitas vezes é difícil. É preciso coragem pra assumir nossas escolhas.

Uma forma que achei legal pra decidir se aceito ou recuso alguma coisa é a adotada pelo Derek Sivers.

HELL YEAH! or No

Dizer não é uma arte. E como toda arte, merece ser praticada.

Ao perceber que estava aceitando realizar e participar de muitas tarefas, projetos e eventos que mais tarde ele percebia que nem estava tão entusiasmado assim, o escritor Derek Sivers começou a experimentar uma nova filosofia explicada neste post em seu blog.

Seu novo mantra passou a ser: Hell Yeah! or no. Algo como: Wow, claro que sim! Ou não.

Ou seja, quando tinha que decidir sobre se comprometer com alguma coisa, ele refletiria se seu sentimento era de: Wow, isso é incrível, é óbvio que quero participar disso. Hell Yeah! Se não fosse, então, ele diria não.

Esse filtro pode precavê-lo de acumular eventos que não te deixem empolgados, e mantém sua agenda com espaço pra receber aquela oferta que você dirá um Hell Yeah quando surgir.

Realmente acredito que precisamos aprender a dizer mais “nãos” e com isso valorizar mais os nossos “sims” e consequentemente o nosso tempo. Passei a ficar mais atento a isso e confesso que estou gostando dos resultados.

Sempre tive muita dificuldade pra dizer não. O sentimento de perda ao recusar algum convite sempre fala mais alto e acabo dizendo sim com medo de estar perdendo uma boa oportunidade. Quando espanto estou cheio de compromissos que não estou com vontade de comparecer.

Mas, pensando bem, se você não é o Derek Sivers ou alguém tão ocupado quanto, uma outra abordagem pode ser mais recomendada.

Quer saber… por que não?

Agora o outro lado da moeda.

Essa filosofia é muito boa pra quem tem a agenda sempre cheia. Se você vive ocupado, sobrecarregado com vários compromissos e tem dificuldade em encontrar um momento pra respirar no seu dia, então eu concordo absolutamente em se perguntar se esse novo projeto, essa nova ideia, esse novo convite que pintou é um Hell Yeah.

Se já tem muita coisa acontecendo na sua vida, não há razão pra se comprometer com mais uma atividade que você nem está tão entusiasmado assim. Sem chances de conseguir arrumar tempo pra isso, diga não sem pena!

Por outro lado, se você está num momento com bastante tempo livre, ou se apenas percebe que ainda tem tempo pra tentar algo novo, deveria se perguntar antes de uma recusa: Eu realmente vou fazer algo de produtivo com o tempo que terei ao recusar essa atividade?

Acredito que a melhor análise nessas condições seria adotar a filosofia do “Hell, why not?” (F*d@-se, por que não?). Muitas vezes podemos deixar passar grandes oportunidades apenas porque supomos que não vamos nos interessar por algo.

Na verdade as oportunidades estão justamente fora da nossa zona de conforto, nas coisas que geralmente não exploramos.

Clareza nas prioridades

Se você está sem tempo pra fazer as coisas que realmente quer, é porque está priorizando as coisas erradas. E se está priorizando as coisas erradas, está fazendo as escolhas erradas.

Nossas prioridades devem ser claras. Se já estamos engajados em muitas atividades, a menos que estejamos aptos a abrir mão de alguma coisa, não devemos dizer sim pra novos compromissos a não ser que este seja um “P%rr@, é claro que sim!!”.

Por outro lado, devemos nos lembrar de nunca deixar de explorar. Principalmente o que está fora daquela nossa zona confortável. Explore coisas novas!

Todo mundo tem 24 horas. Não é sobre tempo, é sobre escolhas. Como você tá gastando suas escolhas?

escolhas