Série: 5 áreas pra estudar e explorar de forma autodidata pra prosperar no futuro – Não importa qual seja o futuro.

Já cansamos de ouvir que o mundo está mudando. Não é novidade que a mudança é uma constante. Mas graças à ciência e tecnologia, o tamanho e a velocidade dessas mudanças é cada vez maior.

Se você é minimamente antenado, já percebeu que não estamos apenas passando por uma era de mudanças como sempre, mas por uma mudança de era.

“Não estamos passando por uma era de mudanças. Estamos passando por uma mudança de era. Isso, que parece um simples jogo de palavras, dá uma dimensão mais precisa do fenômeno. Não estamos mudando de rua, de bairro, de cidade, de país, de planeta. Estamos mudando de universo. Estamos diante de uma revolução. E uma revolução muda absolutamente tudo.” – Tiago Mattos em Vai lá e faz

Ondas de inovação surgem transformando muitos aspectos de nossas vidas, desde como nos relacionamos, como relaxamos, como criamos, como trabalhamos etc. E numa era de mudanças exponenciais, essas ondas se tornam cada vez maiores e imprevisíveis.

O que antes era estabilidade e segurança hoje já não é mais. Empresas estão descobrindo formas mais baratas e confiáveis de executar tarefas graças às máquinas e a inteligência artificial. Pessoas estão tendo que buscar novos empregos e novas áreas pra trabalhar.

Esse mundo de mudanças disruptivas pode se tornar surpreendentemente volátil, caótico e imprevisível. Seja lá qual for sua definição de sucesso, como encontrá-lo num mundo como esse?

Mudança é uma coisa boa desde que tenhamos um suporte de habilidades que nos permita se adaptar a ela. Sem esse suporte, a novidade pode nos deixar sem reação ou até mesmo assustar, e assim, vamos sempre temê-la.

Acredito que estudando e aprendendo determinados assuntos, que alias não são abordados como deveriam nas escolas, podemos adquirir esse suporte. (Só um parêntese pra lembrar que apenas compartilho o que acredito funcionar pra mim, baseado em tudo que estudo e experimento, e que talvez possa ajudar mais alguém).

Mudanças e Aprendizado

Assim como a mudança é uma constante, o aprendizado também deve ser. Pode soar óbvio pra alguns, mas muitos acreditam que aprender faz parte de determinada etapa da vida.

Tradicionalmente concebemos o aprendizado e o trabalho como experiências separadas. Passamos a maior parte da nossa infância e juventude na escola e universidade e os anos adultos procurando por trabalho e trabalhando.

Com o mundo mudando rapidamente, não podemos nos dar o luxo de “acabar os estudos” e parar de aprender.

O mercado de trabalho para o qual você passou anos se preparando provavelmente vai ter mudado bastante quando chegar a hora de encará-lo. O que a gente estuda hoje pode já não servir pra nada amanhã.

Por isso que a gente precisa estar sempre aprendendo. Principalmente aprendendo a aprender, que por sinal é outra habilidade que não estudamos na escola.

Percebendo isso, decidi me dedicar de forma autodidata a algumas áreas que acredito serem fundamentais pra me manter capaz de acompanhar a rápida evolução que o mundo vem passando.

Aprender sobre essas áreas, como mencionei lá em cima, creio vão me dar a base e o suporte pra aperfeiçoar e explorar novas habilidades e caminhos, me ajudando a mandar bem no futuro, seja lá que futuro seja esse.

Assuntos pra explorar e aprender.

Comecei minha jornada autodidata quando percebi que deveria confiar minha educação e aprendizado a mim mesmo, e não apenas ao sistema formal de ensino ou qualquer outra coisa.

Iniciei então uma busca por conhecimento e por adquirir habilidades e experiências por conta própria. E foi assim que identifiquei nessas 5 áreas, a base, o foco e a motivação que precisava.

Esses próprios assuntos não estão imunes a mudanças, mas acredito que ao aprender sobre eles e tentar dominá-los, podemos ganhar ótimas ferramentas para reinventarmo-nos e adaptarmo-nos diante das rápidas reviravoltas. São eles:

Desenvolver habilidades nessas áreas de forma autodidata é o que tenho buscado pra ficar mais preparado pra chegar onde quero.

Acho que elas deveriam ter a mesma importância nas escolas de matérias como matemática, português, e ciências por exemplo.

Pra não deixar esse texto muito longo, vou comentar sobre cada uma nos próximos posts, e sobre o porquê de enxergar nelas boas ferramentas.

E se quiser receber as atualizações aqui do blog por e-mail, assim como recomendações de leituras mensais, se cadastra aqui em baixo. 🙂