Série – Áreas a explorar pra prosperar no futuro: Criatividade e Empreendedorismo

Como contei no texto de introdução dessa série (esse aqui), acredito que existem 5 assuntos que servem de base e suporte pra quem quer ter sucesso no futuro, seja lá o que sucesso significa pra você.

Contei também que essas 5 áreas são: A habilidade de aprender a aprender; Criatividade; Empreendedorismo; Filosofia; e Psicologia.

Resolvi chamar de série porque falar sobre todas elas em um único texto ficaria muito grande. Dividi então em 4 textos, sendo esse aqui o segundo deles, onde falo sobre porque estudar e explorar a criatividade e o empreendedorismo são essenciais.

O primeiro texto da série pode ser lido aqui: SÉRIE: 5 ÁREAS PRA ESTUDAR E EXPLORAR DE FORMA AUTODIDATA PRA PROSPERAR NO FUTURO – NÃO IMPORTA QUAL SEJA O FUTURO.

Vamos começar pela criatividade então, uma área que muitos acham que não se estuda.

Criatividade

O mundo está mudando numa velocidade nunca antes vista. Já estou até repetitivo de tanto que falo isso. A verdade é que sou fascinado por tudo que envolve esse momento de mudança de era que estamos vivendo.

Vejo muito pouca gente prestando atenção nesse movimento e fico louco pra alertar as pessoas. Mas cada um tem seu tempo, afinal o futuro pode não chegar pra todos ao mesmo tempo, mas uma hora chega.

Foi por ser fascinado por esses assuntos que no ano passado fiz o Friends of Tomorrow, curso de futurismo da Perestroika, responsável por me deixar noites sem dormir de tanto que mexeu com minhas ideias. Falei um pouco do que vi lá nesse texto aqui.

Mas pra ficar realmente por dentro dos principais assuntos tratados no curso, te aconselho dar uma olhada nesse material incrível (NÓS DO FUTURO) produzido pelo Everton Kayzer, que participou do FoT esse ano.

Ok, mas o que isso tudo tem a ver com criatividade?

Tem a ver porque, nesse mundo de avanços tecnológicos exponenciais, com as máquinas de inteligência artificial tomando cada vez mais o nosso espaço, o que vai nos diferenciar como profissionais serão nossas habilidades mais “humanas”. E a criatividade é talvez a principal dessas habilidades.

Podemos entender a criatividade como a capacidade humana de promover alterações no mundo, dando forma às idéias e apresentando alternativas para várias situações da vida.

A criatividade é uma ferramenta pra resolver problemas. E se tem uma coisa que precisamos ser nesse momento, é um “resolvedor” de problemas.

E problema não significa apenas algo ruim. Problema é qualquer coisa que demande uma solução. Problema pode ser sinônimo de dificuldade, mas também pode ser sinônimo de desafio, ou de oportunidade.

Pra resolver problemas novos, precisamos de soluções novas. Pra chegar a soluções novas, precisamos usar a nossa criatividade.

E como todos nós temos problemas, precisamos todos aprender a ser mais criativos. É um mito achar que só artistas, publicitários e outros profissionais da “área criativa” precisam ser criativos.

Quando percebi isso, comecei a me lamentar por não ter nascido com esse dom da criatividade. E é bem provável que você esteja fazendo o mesmo agora. Só que aí descobri que enxergar a criatividade como um dom, também é um mito.

Sim, é possível estudar criatividade e aprender a ser mais criativo.

Assim como é um mito achar que só artistas precisam ser criativos, também é um mito achar que a criatividade é um dom.

O mito do dom

José Saramago disse: “Somos todos escritores, só que alguns escrevem e outros não”. Trazendo para nosso contexto: somos todos criativos, só que alguns criam e outros não.

A criatividade é uma capacidade inata da nossa espécie. Todos temos a capacidade de imaginar. Podemos imaginar até o impossível e o irreal. Criatividade é a imaginação aplicada. Ser criativo nada mais é que aplicar a nossa imaginação na resolução de um problema.

A imaginação, quando resolve um problema, vira criatividade.

O grande problema é que paramos de imaginar. Paramos de questionar, de ser curiosos, de ser mais crianças.

“O homem criativo não é um homem ao qual se acrescentou algo. Criativo é o homem comum do qual nada se tirou”. – Abraham Maslow

Nós nascemos criativos e desaprendemos a ser criativos. Já percebeu como as crianças são curiosas e imaginativas? Mas ao longo da vida, nossa sociedade, cultura, família, escolas, tudo isso vai bloqueando essa nossa capacidade.

Tudo que nos cerca vai nos colocando dentro da caixa e quando viramos adultos nos pedem pra pensar fora da caixa!

É claro que algumas pessoas são mais propensas a desenvolver certas habilidades. Habilidade motora, habilidade musical, habilidade lógico-matemática, lingüística, criativa, o próprio coeficiente intelectual dos indivíduos varia.

Mas como quis dizer o Saramago, todos temos um pouco de cada uma dessas habilidades inatas, só que uns se esforçam pra desenvolver mais algumas do que outras.

Ou seja, uns praticam mais determinadas habilidades, estudam, colocam o hardwork na receita.

Se você quer ser mais criativo, precisa praticar. Criatividade não é o resultado, e sim o processo.

Aquela idéia de que a criatividade é algo espontâneo, incontrolável, simplesmente não é verdade. As idéias não surgem do nada!

Ser criativo demanda conhecimento, esforço, estudo constante, testes e muito erro. No fim das contas, aquele estalo criativo, aquele momento Eureka, é só uma parte muito pequena do processo e você nem vai perceber quando ele entrou na história.

Você deve conhecer essa famosa citação do Thomas Edison: “A genialidade é 1% de inspiração e 99% de transpiração.”

Podemos dizer o mesmo da criatividade. A maior parte do processo é o hard work.

Como esse texto já ta ficando muito grande, vou deixar pra um próximo, falar mais em detalhes de tudo que aprendi sobre o processo criativo num curso de criatividade, em livros sobre o assunto e na prática.

O objetivo aqui é mostrar que você pode sim se tornar mais criativo mediante esforço e estudo, e que a criatividade é uma habilidade extremamente importante nos dias de hoje, e a tendência é que se torne cada vez mais.

Criar soluções diferentes pros novos problemas, se adaptar as velozes mudanças, ser original, enxergar novas oportunidades, tudo isso é de suma importância pra todos. Desenvolvendo a criatividade, ficamos mais capacitados pra encarar esses desafios.

A criatividade não é um dom e é pra todos & Seja questionador & Enxergue o mundo com o olhar curioso e estimule sua imaginação.

Empreendedorismo

Assim como a criatividade influencia todas as suas outras habilidades, o empreendedorismo também ajuda no desenvolvimento de uma série de habilidades importantes pra prosperar na vida.

Como já citei aqui (item 9), empreender pra mim é um estado de espírito. Não é simplesmente ser dono do seu próprio negócio, é uma visão de mundo.

Enxergar o mundo com o olhar de um empreendedor faz toda a diferença.

Uma importante habilidade envolvida com o empreendedorismo é a capacidade de detectar oportunidades. Não apenas qualquer oportunidade, mas oportunidades inteligentes.

A diferença entre um bom empreendedor e outra pessoa sem essa visão, é que o empreendedor sempre tem o olhar voltado pra encontrar brechas no que existe, melhorias que podem ser feitas e áreas com oportunidades de crescimento.

Percebe como o olhar de um empreendedor precisa ser aquele olhar de uma pessoa criativa? Que questiona tudo, é curiosa, caça oportunidades de melhorias. Diferente de uma pessoa com o perfil de consumidor, a pessoa com a visão empreendedora tá sempre de olho em oportunidades de vender algo, criar um negócio, melhorar um serviço já existente.

Por isso que todo empreendedor de sucesso é considerado também uma pessoa altamente criativa.

O empreendedor também não fica restrito apenas a um determinado setor. Ele ta de olho em tudo e sempre pronto pra deixar uma idéia pra trás e partir pra outra. Ele não se apega a idéias, sabe que quando uma porta se fecha outras se abrem.

E isso vale pra tudo na vida, não apenas pros negócios. É preciso deixar coisas partirem pra receber outras. Não existe almoço grátis, é impossível conseguir algo sem dar nada em troca. Doar pra receber.

Uma outra habilidade importante que se aprende com o empreendedorismo é a capacidade de saber falhar e lidar com o fracasso.

O fracasso é o caminho pro crescimento. Na grande maioria das culturas, errar é vergonhoso. Quem erra é tido como fracassado, incapaz e discriminado pela sociedade. Aqui no Brasil isso é bem comum, diferente dos Estados Unidos por exemplo.

O Vale do Silício, o famoso pólo de startups na Califórnia, possui a cultura de considerar o erro como algo normal. Ele não chega a ser glorificado, mas é visto como um mal necessário, uma espécie de cicatriz de guerra que irá forçar o empreendedor e sua startup a aprender mais rapidamente e mudar os rumos se necessário.

Investidores também pensam assim. É comum ouvir da boca de alguns dos maiores nomes do Vale que eles não investem em quem nunca fracassou, pois há uma maior possibilidade de o erro ocorrer na atual startup.

O método científico, popularmente conhecido como tentativa e erro está impregnado na cultura do Vale, assim como deve ocorrer também no processo criativo.

“Quem nunca errou é porque nunca tentou algo novo” – Einstein

“Você não aprende andar seguindo regras. Você aprende a andar caindo e fazendo de novo. É um método científico; tentativa e erro.” – Richard Branson

“Deve-se aprender fazendo a coisa; pelo pensamento você acha que sabe. Você não tem certeza, até que tente”. – Sófocres

Essas frases reforçam a importância de tentar e errar. Porém, falhar não é pra todos. Não é qualquer um que sabe lidar com o fracasso, ainda mais numa realidade brasileira onde a cultura do fracasso ainda não é valorizada.

E aqui entra a parte mais importante do empreendedor, que é a parte psicológica. Não são os dados, os planos de negócios, as estratégias, mas sim a sua capacidade de saber lidar com o fracasso, com as críticas, com as pessoas que irão tentar te convencer que você escolheu o caminho errado.

E além de aprender a lidar com a falha, também é preciso saber falhar.

O erro faz parte mas também é importante evitar aquele fracasso homérico, aquela grande tragédia que vai te tirar de vez do jogo.

Se expor intencionalmente a muitas falhas é fundamental, mas falhas pequenas (microfalhas) e não fatais pra que você obtenha feedback do mundo real, e ajuste seu curso o mais rápido possível a fim de evitar investimento de vários recursos em um beco sem saída.

Com o empreendedorismo se aprende a ser resiliente. Você pratica o método da tentativa e erro, e ao falhar, aprende a se levantar, a ajustar seu curso, aprende com os erros.

Empreender é um estado de espírito & Tenha o olhar empreendedor e aprenda a detectar oportunidades & Aprenda como falhar e como lidar com o fracasso.

E essas são duas das cinco habilidades que considero essenciais pra prosperar no futuro. No próximo texto compartilharei minha visão sobre outras duas habilidades, filosofia e psicologia.

Lembrando que essa é apenas a minha visão, o que eu acho. Se concorda ou não e se tiver qualquer coisa pra acrescentar, será muito bem vindo nos comentários.

E pra receber recomendações mensais de leitura por e-mail desses e outros assuntos, se junte a nossa comunidade de leitores deixando seu email abaixo.